Confira qual a idade correta para se fazer um exame auditivo, além de informações sobre as dificuldades em detectar a perda auditiva. Muitos pacientes chegam até nós não por motivação própria, e sim trazidos por alguém da família. As falas mais frequentes que chegam ao nosso consultório são:

  • Não é que eu não escute, na verdade eu não entendo;
  • Eu escuto bem, algumas pessoas que falam “pra dentro”;
  • Eles que falam baixinho, enrolado.

A negação inicial se faz presente até mesmo por não saber que o mundo é barulhento e não tão silencioso quanto imaginam. Sons da seta do carro, tic tac do relógio, passar a mão no cabelo, folhear um livro, confundir sessenta com setenta, são exemplos de sons que o cérebro deixa de ouvir e acaba comprometendo e gerando dificuldades para sua memória auditiva.

Dificuldades para Detecção da Perda

A grande maioria das perdas auditivas não acontecem de uma hora pra outra, dificultando assim a detecção precoce, pois quando o próprio paciente percebe, geralmente esta perda está em um grau avançado, já que iniciou há anos e tem piorado gradativamente. Acabam me perguntando então, qual a melhor idade para avaliar minha audição, para fazer um exame auditivo?

O teste da orelhinha sem dúvida é o primeiro contato preventivo no que se refere a uma avaliação auditiva, muitos esquecem deste órgão tão importante e só procuram ajuda quando sentem alguma dor. Porém grande parte dos casos de perdas auditivas são indolores, são invisíveis, e por não doer, muitos se esquecem de avaliar periodicamente. Então fica a pergunta, quando fazer um exame auditivo?

Quando Fazer um Exame Auditivo?

É na idade escolar, na fase da alfabetização, que a criança aprende a escrever, portanto é de suma importância que tanto a visão quanto a audição sejam avaliadas. A criança vai aprender a escrever da forma que ouve, e qualquer impedimento, seja uma rolha de cera, uma otite, ou uma perda auditiva, poderá atrasar seu desenvolvimento da linguagem, acometendo algumas vezes trocas na fala e escrita, e quanto antes seja detectado e corrigido este problema, melhor para o desenvolvimento geral desta criança.

Caso o exame esteja dentro dos padrões de normalidade, ele poderá ser repetido a cada 2 anos. Faça disto uma rotina. Inclua um exame audiométrico no seu check up anual, afinal a audição é uma das vias mais importantes para aprendizado e para estimulação cerebral.

 

Sobre a  Autora:

 

Dra Sandra Paula G. L. S. de Santana
CRFª: 7504
Graduada em Fonoaudiologia pela Universidade do Vale do Itajaí e Especialista em Audiologia Clínica e Ocupacional pela Universidade Tuiuti do Paraná