Neste artigo iremos falar sobre a adaptação aos aparelhos auditivos, principalmente para pessoas que irão utilizá-los pela primeira vez, mas antes precisamos lembrar que a perda auditiva é mais comum do que você imagina: a deficiência auditiva é a mais comum entre as deficiências.

A perda auditiva afeta de diversas maneiras o ser humano, causando alterações na saúde física e mental; como por exemplo cansaço, tensão muscular, dor de cabeça, sentimento de solidão, angústia ou tristeza.

 

Como Funciona o Sistema Auditivo

O sistema auditivo é formado pelo órgão sensorial da audição, pelas vias auditivas do sistema nervoso e por estruturas cerebrais que recebem, analisam e interpretam as informações sonoras, sendo frequentemente requisitado em situações de comunicação. Por meio da linguagem, o homem consegue entender o mundo que o rodeia, organizar o seu universo, transmitir e abstrair pensamentos e sentimentos, compreender o outro, interagir no meio e adquirir conhecimento. Sendo assim, quanto mais estímulos sonoros recebermos, mais preparados estaremos para interagir com outros indivíduos.

No entanto, nem sempre temos a integridade completa do sistema auditivo. O impacto desta privação sensorial na vida de um indivíduo é significativo, pois esta não afeta somente a capacidade deste em compreender adequadamente as informações sonoras, mas principalmente o modo de se relacionar com seu meio e sua cultura. Além disso, essa privação sensorial provoca alterações biológicas, psicológicas e sociais.

 

O Tratamento com Aparelhos Auditivos

Existem vários tipos de perda auditiva, o médico otorrinolaringologista através de exame físico e complementares como audiometria, imitanciometria, otoemissões, potenciais evocados, exames de imagens, entre outros, realiza o diagnóstico da perda e os tipos de tratamentos que podem ser realizados. Algumas perdas auditivas podem ser tratadas com medicamentos, outras com cirurgia e a grande maioria através de aparelhos auditivos.

O aparelho auditivo é um dispositivo de amplificação sonora que auxilia a pessoa que tem a perda auditiva a ouvir novamente. Os aparelhos auditivos funcionam com a mais recente tecnologia digital. Estes são ajustados individualmente em função das respectivas perdas auditivas e necessidades pessoais. Isto é importante, uma vez que cada pessoa afetada tem uma percepção diferente da sua deficiência auditiva.

Os aparelhos auditivos possuem programas automáticos para cada situação, funcionalidades que melhoram a fala, atenuam os ruídos incômodos de fundo e uma funcionalidade que permite suprimir os ruídos de fundo. Tudo isto facilita a vida das pessoas que sofrem de deficiência auditiva e garante uma melhor qualidade de vida. Os aparelhos auditivos conseguem fazer “mais do que apenas amplificar o som” no ouvido e que através de outros recursos podem contribuir para melhorar a compreensão e o som da fala.

 

Funcionamento do Aparelho Auditivo

Os aparelhos auditivos se tornaram computadores de alto desempenho, que podem ser perfeitamente adaptados às necessidades individuais graças à mais recente tecnologia, oferecendo igualmente um elevado nível de conforto e um design atraente. Estes são constituídos geralmente por três partes principais: o microfone, o processador e o alto-falante. O microfone capta os ruídos de fundo, ou seja, os sinais acústicos, e os transmite para o processador. Este amplifica o ruído e converte o som em sinais elétricos. O alto-falante, por sua vez, encaminha os sinais para o ouvido do usuário. Assim que o som alcança o ouvido, este pode ser claramente compreendido pelas pessoas afetadas.

Para permitir que os usuários de aparelhos auditivos ouçam corretamente, os aparelhos auditivos amplificam propositadamente os ruídos mais importantes para a comunicação e reduzem os ruídos de fundo. Este processo acontece de forma completamente automática com os aparelhos auditivos. Existem diversos tipos de tecnologias de aparelhos auditivos, esses devem ser indicados pelo fonoaudiólogo conforme os exames audiológicos e uma anamnese (entrevista) com o paciente. A escolha da tecnologia adequada fará toda a diferença na adaptação.

 

O Processo de Adaptação aos Aparelhos Auditivos

A adaptação aos aparelhos auditivos deve ser realizada aos poucos, respeitando a aclimatização do paciente ao som. Pessoas que nunca usaram aparelho auditivo costumam colocar uma grande expectativa, o que as deixam com frequência decepcionadas nos primeiros meses, uma vez que o aparelho leva tempo para se adaptar. Devido a isso, a orientação correta é o ponto chave para buscar uma melhor adaptação e entendimento desse processo.
No início, é necessário fazer alguns ajustes e no decorrer da adaptação também, sendo natural o paciente ouvir sons diferentes, o que torna a adaptação um pouco mais difícil. Mas, uma vez adaptado aos aparelhos auditivos, as pessoas ficam satisfeitas com o resultado.

 

A Importância de Antecipar a Adaptação aos Aparelhos Auditivos

Muitas vezes, a demora do paciente para iniciar o tratamento com aparelhos auditivos pode fazer com que esse caminho se torne mais difícil, pois ele perde a noção de como ter uma audição normal, além da piora significativa do entendimento das palavras, devido o tempo de privação sensorial, ou seja, quanto antes a pessoa com perda auditiva procurar, maiores serão os benefícios com os aparelhos auditivos.

 

Contando com o Auxílio de Acessórios

Algumas pessoas, mesmo usando os aparelhos auditivos, podem apresentar dificuldades em algumas situações, como escutar a televisão, ouvir ao telefone, escutar o professor ou palestrante, escutar com clareza em reunião com várias pessoas falando, por exemplo. Isso devido o ruído de fundo, o grau de perda, o tempo de privação auditiva. Para esses casos, existem acessórios que usados com os aparelhos auditivos irão auxiliar os pacientes.

Esses acessórios funcionam através de Bluetooth ou via wireless e ajudam o paciente a ouvir a televisão e o celular diretamente nos aparelhos auditivos, como se fossem fones de ouvido, bem como auxiliam a escutar o interlocutor, como o professor, o palestrante, as pessoas em reunião, e isso com som totalmente digital, sem ruídos de fundo, ouvindo com clareza diretamente nos aparelhos auditivos!

 

Sobre o Autor:


Dra Patricia Roswadoski
CRFª: 8776
Graduada em Fonoaudiologia pela PUC/PR e Especialista em Linguagem Oral e Escrita pela PUC/PR