No dia 19/05/2020 foi realizado uma live pela plataforma do Instagram com a Dra. Caroline Gambini, fonoaudióloga graduada pela Universidade Federal de Santa Maria, especialista em   Fonoaudiologia por essa mesma universidade e Mestre em Distúrbios da Comunicação pela universidade Tuiuti do Paraná, e com a Dra. Sandra Paula Santana, graduada pela Universidade do Vale do Itajaí e Especialista em Audiologia Clinica e Ocupacional pela Universidade Tuiuti do Paraná. Ambas com larga experiência em Reabilitação Auditiva com uso de Próteses Auditivas.

Começamos a live mostrando que nossa orelha é dividida em três partes: Orelha externa, orelha média e Orelha interna.

Se tivermos alguma alteração em uma dessas partes, ou mais de uma, irá causar um tipo específico de perda auditiva. O exame que detecta se existe algum tipo de alteração no ouvido é realizado pelo fonoaudiólogo e se chama audiometria. Um exame indolor, que precisa da resposta do paciente, que dirá se este indivíduo tem ou não uma perda auditiva e qual o grau desta alteração.

Existem três tipos de perda auditiva: Perda Auditiva Neurossensorial, Perda Auditiva Condutiva e Perda Auditiva Mista. A Perda Auditiva Condutiva é uma perda auditiva que indica algum problema a orelha externa ou média. É chamada assim por este tipo de perda apresentar problemas na condução do som. Pode ser reversível, médico irá indicar o tratamento adequado. A Perda Auditiva Neurossensorial é uma perda auditiva ocasionada na orelha interna. Pode ser por diversos motivos ocorrendo alteração nas células ciliadas ou no nervo auditivo. Irreversível. A Perda Auditiva Mista é quando ocorre problema na orelha externa ou média e interna.

Os graus de perda auditiva são classificados pela média de três frequências específicas, 500Hz, 1000Hz e 000Hz.  São classificados em grau leve, moderado, moderadamente severo, severo e profundo. Até mesmo pessoas que tenham uma alteração de grau leve, possuem privação sonora em determinada intensidade e frequência que pode acarretar em troca de fonemas na infância, por exemplo. O grau da perda auditiva que vai delimitar a potência do aparelho auditivo quando indicado pelo médico otorrinolaringologista.

O grau da perda auditiva que vai delimitar a potência do aparelho auditivo quando indicado pelo médico otorrinolaringologista.

Os aparelhos auditivos são indicados pelo médico especialista. O profissional que fara a indicação do tipo, modelo, potência e tecnologia necessária, será o fonoaudiólogo em análise das necessidades e queixas do seu paciente em questão.

Existem aparelhos auditivos retroauriculares com moldes, microtubos ou com receptores no canal, com pilhas ou recarregáveis. Também existem aparelhos auditivos intracanais, como ITC, CIC e Nano.

E existe ainda o modelo Lyric, único aparelho de uso contínuo, 24hrs, 7 dias por semana. Não tira para dormir ou tomar banho, pessoa pode ter uma vida normal e praticamente esquecer que está usando aparelho auditivo.

Mas como saber qual é o modelo indicado pra mim? É ai que entra o papel do fonoaudiólogo, especialista em reabilitação auditiva.

O fonoaudiólogo, fara uma análise do seu audiograma, da sua orelha, do canal auditivo, uma anamnese clínica e pesquisa da sua vida cotidiana para saber quais as necessidades e quais os recursos que terá que ter dentro do seu aparelho para poder suprir, se não todas, mas a grande maioria de queixas existem e outras tantas que porventura podem vir a surgir.

Foi falado também durante a live sobre como funciona nosso programa de acompanhamento.  A digsom em todas as suas unidades faz o acompanhamento, o pós venda. Não adianta apenas comprar um aparelho auditivo e sair usando, existe todo um processo, ajustes, mudanças de olivas, regras ou ativações de recursos que vão ser acessados pelo fonoaudiólogo para ocorrer a reabilitação e adaptação ao aparelho. O sucesso da adaptação é uma via de mão dupla onde o paciente se compromete a participar, utilizando o aparelho, indo as consultas de acompanhamento e mantendo as revisões em dia.

Quanto as perguntas que surgiram durante esta Live:

  • Usar fone de ouvido pode causar perda auditiva?

Sim, o uso de fones de ouvido por tempo prolongado, ou em volume acima do nível de segurança, pode sim causar uma perda auditiva irreversível e zumbido.

  • A partir de qual idade deve ser feito audiometria?

Na verdade quando nasce o bebe já passa pelo teste da orelhinha que hoje em dia é obrigatório, e caso de alterado é repetido e feito os devidos encaminhamentos. A audiometria deve ser feito tão logo se perceba alguma alteração, ou caso contrário, sem ter queixas, recomendamos que faça antes de entrar no processo de alfabetização. Sugerimos incluir uma audiometria no seu check up anual.

  • Meu pai tem perda auditiva, posso ter também?

Sim, existe muitos casos de perda auditiva hereditária. Portanto se você tem algum famíliar, não só pai, pode ser mãe, irmão, avos, tios… não custa fazer um exame de audiometria que é indolor e de fácil compreensão.

  • A perda auditiva de grau leve também diminui as conexões neuronais?

Sim, “As orelhas são a porta para o cérebro”, tal frase foi dita pela Dra. Carol Flexer da Universidade de Akron em Ohio(EUA). Qualquer alteração auditiva, mesmo que leve dependendo da idade da criança pode afetar em muito a neuroplasticidade, quanto mais cedo esta criança for exposta a estimulação, mais chances de desenvolvimento, pois a estimulação auditiva é de suma importância para o desenvolvimento da linguagem.

  • Quanto tempo dura a pilha do aparelho auditivo?

Isto depende de uma série de fatores. Existem pilhas no tamanho 10,312,13,675. Cada um tem uma duração aproximada, porém dependendo de como esta o ajuste, que programas estão ativados, pode gastar mais ou menos. Mas em média a grande maioria dura pelo menos 7 dias.

Já o modelo recarregável Marvel, tem uma duração de 24hrs de bateria durando um período de aproximadamente 6 anos.

 

Mais uma vez agradecemos a participação de todos e nos encontramos na próxima LIVE, e fiquem a vontade para sugerir temas em nossas redes sociais.

Se você tem esta dificuldade, agende um horário e solicite uma avaliação, nossos aparelhos auditivos irão lhe surpreender. Nos envie uma mensagem via whatsapp ou telefone que iremos lhe auxiliar.

0800 052 9191
(47) 99966 2034

 

Sobre a  Autora:

 

Dra Sandra Paula Santana
CRFª: 7504
Graduada em Fonoaudiologia pela Universidade do Vale do Itajaí e
Especialista em Audiologia Clínica e Ocupacional pela
Universidade Tuiuti do Paraná