Zumbido no ouvido pode ser sinal de perda auditiva

Zumbido no ouvido pode ser sinal de perda auditiva

O zumbido no ouvido tem sido relatado associado à perdas auditivas, principalmente as sensorioneurais, e que tem interferido profundamente na qualidade de vida de pacientes com este sintoma, uma vez que o zumbido em si não é uma doença.

O que é o zumbido no ouvido?

O zumbido no ouvido é uma atividade neuronal caracterizada pela percepção de um som que não tem ligação com uma fonte sonora externa. A fonte geradora pode ter relação com uma hiperatividade neuronal, embora sua etiologia possa ser contestada.

Esse zumbido no ouvido não se caracteriza como sendo uma doença, mas um sintoma de uma desordem no organismo ocasionado por uma doença ou por um transtorno externo do sistema auditivo.

Como saber se é zumbido?

Pode-se chamar como zumbido, tinnitus ou tinido, e varia de característica sonora de indivíduo para indivíduo, podendo se apresentar como: chiado, apito, barulho de chuveiro, de cachoeira, de cigarra, do escape de panela de pressão, de campainha, do esvoaçar de inseto, de pulsação do coração ou batimento da asa de borboleta, apresentando-se de forma continua ou intermitente, constante, mono ou politonal.

A sonoridade desse estímulo excitatório do sistema auditivo está relacionado com a causa primária, que desencadeia o zumbido no ouvido, como por exemplo, nas alterações vasculares o paciente tende a relatar zumbido caracterizado como pulsáteis ou cliques, isso porque o fluxo sanguíneo alterado, intra ou extracraniano está nas proximidades de estruturas auditivas.

Quais as principais alterações em pessoas com zumbido?

As principais alterações têm sido relacionadas a concentração e atenção, sono e emoções negativas. Mas entende-se que a etiologia da doença é ampla e requer uma avaliação minuciosa clinicamente, a fim de determinar qual doença desencadeia tal alteração.

Em casos graves do sintoma, o zumbido no ouvido pode dificultar a comunicação do paciente acometido, interferindo até mesmo em seus momentos de lazer, podendo inclusive gerar tentativas de suicídio.

Principais doenças relacionadas ao zumbido no ouvido:

  • Sistema auditivo: Presbiacusia, Perda Auditiva Induzida por Ruído (PAIR), Ototoxicidade, Otosclerose;
  • Sistema endócrino: Diabetes; Sistema Ortognático: Distúrbio da Articulação Temporomandibular (DTM) e musculatura de mastigação;
  • Psicológicos: Ansiedade, depressão, fobias, stress;
  • Cardiovascular: Hipertensão Arterial Sistêmica, anemia, insuficiência cardíaca.

Zumbido no ouvido tem tratamento?

O tratamento do zumbido no ouvido pode ser realizado de inúmeras maneiras, pois não existe um consenso clínico quanto a maneira definitiva de estabelecer uma cura ou diminuição dos efeitos, ou técnicas universais para a erradicação do sintoma.

Deve-se consultar um médico otorrinolaringologista para ele definir a melhor forma de tratamento, podendo se dar de forma medicamentosa, cirúrgica, em terapia de habituação do zumbido no ouvido, uso de aparelho auditivo, estimulação elétrica, mascaramento, acupuntura, biofeedback, entre outras.

A abordagem inicial para o tratamento do zumbido no ouvido é a erradicação ou tratamento da patologia de base, gerativa desse zumbido. Quando não for possível, trata-se de formas alternativas o sintoma.

Fonoaudiólogo x zumbido

Um exemplo de proceder fonoaudiológico junto a pacientes acometidos pelo zumbido é a associação entre o Aparelho de Amplificação Sonora (AASI) ou o Gerador de Som (GS) com terapias de aconselhamento e enfrentamento do zumbido, uma vez que o paciente tende a romper com o círculo vicioso de pensamentos depreciativos sobre o problema e muda sua postura por meio de mudança da percepção do zumbido, dissociando sua imagem negativa.

Um estudo realizado com 21 pacientes constatou que o uso de AASI, por si só já melhora a sensação do zumbido, isso porque o cérebro receberá um estímulo que anteriormente estava restrito. Ao perceber o som, o foco de atenção do paciente sai do ruído gerado em forma de zumbido e passa a prestar atenção nas outras expressões sonoras a sua volta.

O aparelho auditivo auxilia no tratamento de zumbido?

O uso de aparelho auditivo como forma de tratamento de pessoas que apresentam zumbido no ouvido, associado ou não à perda auditiva, caracteriza-se como bastante eficaz, uma vez que a amplificação sonora individual pode aumentar o potencial de atividade neural e reduzir a sensação subjetiva do zumbido por meio do mascaramento da sensação subjetiva do zumbido. Ademais, denota-se como uma ferramenta terapêutica promissora na manutenção audiológica do zumbido, posto que diversos estudos apontam resultados benéficos. Contudo, salienta-se a motivação e o comprometimento de cada paciente como aspectos essenciais para que haja sucesso na reabilitação auditiva.

Importante lembrar que o aparelho auditivo não proporciona a cura ao paciente portador de zumbido, apenas alivia a sensação de incômodo devido ao mascaramento realizado pelos sons externos.

Terapia de mascaramento do zumbido

A terapia de mascaramento do zumbido é utilizada desde os anos de 1970 e tem apresentado um bom resultado, pois o paciente acaba substituindo o som do tinido por um ruído externo, que dessensibiliza sua percepção. Especificamente, em casos de mascaramento em pacientes com perda auditiva, a emissão do ruído pode estar associada ao uso do aparelho auditivo, proporcionando conforto durante todo o dia.

Cliente Embaixador Digsom - AJude quem precisa e ganhe prêmios!
2019-06-10T15:28:40+00:00