Você costuma ouvir algum tipo de zumbido em situações silenciosas? Também conhecimento como tinnitus, o zumbido é um distúrbio que faz com que a pessoa escute sons normalmente irritantes.

Essa condição pode acontecer em algum momento da vida e pode simbolizar algum problema pré-existente no sistema auditivo ou mesmo em outras partes do organismo humano.

O fonoaudiólogo, Dr. Nildo Manoel Duarte – diretor técnico do Grupo Digsom Aparelhos Auditivos – explica que, na maioria dos casos, os ruídos aparecem para tentar compensar um déficit no sistema auditivo, mas acabam fazendo com que as partes ainda intactas do ouvido trabalhem em dobro.

De acordo com a Associação de Pesquisa Interdisciplinar e Divulgação do Zumbido (APIDIZ), cerca de 40 milhões de brasileiros apresentam zumbido no ouvido, o que representa 19% da população do país.

As causas

Os tipos de sons, volumes e frequência sonora variam bastante e podem ter vários fatores causadores como: uso abusivo de fones de ouvido; diabetes; consumo excessivo de açúcar, sal e cafeína; hipertensão; colesterol elevado; excesso de cera no canal auditivo; problemas na articulação da mandíbula, entre outros.

Com frequência, o zumbido é acompanhado de outros sintomas, como perda auditiva, tontura e intolerância a sons altos. De fato, o zumbido não é uma doença em si, mas um sintoma de uma condição de saúde que afeta algum ponto da via auditiva.

O diagnóstico

Apesar de o zumbido ser facilmente identificado, os fatores que o originam nem sempre são evidentes. Segundo o diretor técnico da Digsom, mais de 200 causas já foram associadas a esse ruído irritante e frequente.

O diagnóstico costuma ser feito por exclusão. Começa com a audiometria, teste que mede a capacidade auditiva, e com um exame de sangue para investigar possíveis fatores genéticos ou pré-existentes, como colesterol alto, diabetes e síndrome metabólica.

Varia muito de pessoa para pessoa, o melhor a se fazer caso haja suspeita desse problema é procurar um profissional qualificado como um otorrinolaringologista ou um fonoaudiólogo que poderá dar início à identificação e tratamento dessa condição.

O tratamento

Com o diagnóstico em mãos é possível dar início ao tratamento para amenizar o zumbido e sanar os fatores que podem estar por trás dele.

Aparelhos Auditivos ajudam em muitos casos, já que, quando se passa a ouvir melhor, a percepção dos sons desconfortáveis associados ao zumbido diminui consideravelmente.

Aliado ao tratamento são necessários cuidados que devem ser observados mesmo por quem não percebe zumbidos na sua audição. O uso de protetores auriculares é indicado em situações onde os sons são superiores a 90 decibéis – o equivalente a uma máquina de cortar grama – uma indicação de que o som está muito alto é a necessidade de elevar a voz para conversar com outra pessoa.

Tecnologia avançada a serviço da audição

Na atualidade, temos aparelhos com tecnologia de ponta que podem ajudar no tratamento do zumbido, um deles é o Phonak Lyric, um dispositivo 100% invisível por se localizar totalmente dentro do canal auditivo, fornecendo total discrição e conforto aos usuários.

Esse aparelho pode ser usado 24 horas por dia e não precisa ser retirado para nenhuma atividade cotidiana, como tomar banho ou dormir. Pode ainda ser utilizado para atender o telefone ou ouvir música com fones de ouvido.

Sua tecnologia permite que ele fique dentro do canal auditivo por até três meses sem a necessidade de troca de pilhas. Quando necessário, a substituição é feita imediatamente em um dos pontos de atendimento da Digsom, o que dispensa a longa espera pela manutenção e faz com que o usuário sempre tenha a tecnologia mais atual disponível para seu tratamento.

Entre em contato com um dos pontos de atendimento da Digsom Aparelhos Auditivos e agende um atendimento com nossos fonoaudiólogos. Ligue para 0800 052 9191

Digsom – Ouça melhor, viva melhor!

Publicado no Portal ND+ em 19/10/2020
Acesse aqui a publicação original